O Sommelier

You are here: Home / O Sommelier

O Sommelier

Como todo jantar de requinte, a fondue pede de acompanhamento um bom vinho.

O Château de Gazon oferece uma variedade de bebidas para agradar a todos os paladares, com destaque especial para a rigorosa seleção da carta com 280 rótulos do mundo todo, em nossa adega climatizada.

Vinho do Mês

malbec2011Reserva Estate Collection

Malbec

SAFRA 2011

Vinificação: Malbec 92%, Cabernet Sauvignon 3% e Syrah 5%

Análise de laboratório:Álcool: 13,9 %vol.
pH: 3,58
Acidez Total: 4,9 g/L
Açúcar Residual: 2,1 g/L
Acidez Volátil: 0,41 g/L

Notas de degustação: De cor violeta intensa, este vinho é frutado e fresco, apresentando aromas de frutos negros, frutos do bosque, notas florais e de especiarias. Em boca é bastante frutado, complexo, de estrutura média, com sabores que remetem a ameixas e cerejas negras. Também apresenta uma rica acidez e taninos suaves que posteriormente proporcionam um final longo, balanceado e elegante.

Conselhos para Degustar um Bom Vinho

Degustar um vinho é uma arte cuja aprendizagem requer tempo e, sobre tudo, muita prática.

A degustação, também chamada de análise organoléptica ou sensorial, é a apreciação das qualidades de um vinho através dos sentidos, principalmente da visão, do olfato e do paladar.

Degustar e beber não são sinônimos: “beber” é ingerir um líquido (nesse caso, o vinho) e degustar é submetê-los aos nossos sentidos para analisá-lo, descrevê-lo, e classificá-lo.

#1

No momento da degustação, um bom começo é examinar a rolha, porque este exame pode dar algumas dicas sobre o vinho. Será um bom sinal se a rolha estiver úmida, mas um mau sinal se estiver infiltrada, já que o vinho poderá estar oxidado. Se a rolha estiver seca pode ser um vinho muito jovem ou pode ser que a garrafa tenha sido armazenada verticalmente. Caso se desmanche, pode ser uma rolha de má qualidade ou um vinho velho demais.

#2

O segundo passo é observar a cor do vinho. Para melhor apreciá-lo, deve ser servido em uma taça de cristal transparente, de preferência em forma de tulipa, e levantar a taça em um lugar bem iluminado e contra uma superfície branca. A visão dará sinais sobre sua intensidade (pálido, intenso, profundo, apagado, brilhante) e sua tonalidade (os tintos podem ser vermelhos, rubis, violáceos, roxos, telha… e os brancos, podem ser amarelo pálido, amarelo esverdeado, âmbar, dourado Caso se desmanche, pode ser uma rolha de má qualidade ou um vinho velho demais.

#3

A seguir, verifica-se o aroma ou bouquet. Em um mesmo vinho é possível perceber uma combinação de vários aromas que convivem harmoniosamente. Deve-se tormar a taça com firmeza, fazendo-a girar levemente (agitação),para que o vinho se oxigene e assim vá desprendendo pouco a pouco seus aromas. Introduzindo o nariz na taça, o olfato dirá se um vinho é, por exemplo, frutado (pode ter notas de pêssego, damasco, maçã, frutas vermenhas, como framboesa ou ameixa, amêndoas…) amadeirado (aparecem notas de baunilha, carvalho, defumado…) caramelizado (toques de mel, manteiga, caramelo) ou floral. Nesse passo, deve-se procurar a harmonia, fruta intensidade, madeira, maturação.

#4

Por último, prova-se o vinho. É preciso tomar um gole que encha a boca, mantendo-o ali por uns segundos, tratando de absorver um pouco de ar para que se oxigene e ofereça todo o seu sabor, nesse momento os aromas sobem em direção às fossas nasais e tem-se a impressão de estar bebendo e respirando o vinho ao mesmo tempo. Então, o vinho é tragado, mas no paladar fica um sabor importante, já que um vinho é julgado por sua persistência na boca. Assim, há vinhos “curtos” (seu sabor persiste na boca, no máximo, por 11 segundos) e “prolongados” (25 segundos, no máximo). Nesse último passo é preciso buscar o nível de aperfeiçoamento ( curto ou prolongado na boca, aveludado), equilíbrio, acidez, corpo (leve, médio, pesado), doçura (seco ou doce), taninos e sabores em geral (sabor intenso ou fraco, frutado, floral).

Para emitir um julgamento correto deve-se degustar um vinho com a boca fresca, sem sabor de alcatrão, aguardente ou comidas picantes. Perfumes forte também poderiam alterar a percepção.

Do mais é apreciar seu vinho com um belo prato e “bon appetit”.